sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Videocast - Medeia / Alexandre Costa

Já está no ar mais um videocast do Ciência em Foco. Agora todos podem conferir a palestra que aconteceu após a exibição do filme Medeia, de Pier Paolo Pasolini, na sessão de julho de 2013, que contou com a participação de Alexandre Costa, professor do Departamento de Filosofia da UFF. Ele apresentou a palestra Pasolini e a tragédia do homem ocidental.

Convocamos a todos para pensar, juntos com Alexandre, sobre o aspecto trágico depreendido da relação entre o mundo arcaico e o mundo da razão, apresentada por Pasolini em sua releitura da tragédia de Eurípides.


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Repensar a relação entre vida, capital e trabalho



No último sábado, o Ciência em Foco recebeu pela segunda vez a professora do Instituto de Matemática da UFRJ, Tatiana Roque. Doutora em História e Filosofia da Ciência pela UFRJ, Tatiana já havia participado da nossa sessão de setembro/2009. O filme Attention danger travail ("Atenção perigo trabalho", em uma tradução livre), documentário francês de 2003 realizado por Pierre Carles, Christophe Coello e Stéphanie Goxe, foi escolhido por Tatiana por levantar questões que nos forçam a pensar sobre o atual cenário do capitalismo global, que tem na estratégia de dignificação do trabalho um alicerce de manutenção das desigualdades sociais.

No Brasil, sobretudo após as grandes manifestações de junho/2013, há uma intensa onda de conscientização social em torno de discussões que ofereçam novas formas, mais potentes e menos desiguais, de pensar a política, a cooperação e a organização das cidades. Tatiana se apoiou, dentre outros, nas pesquisas do filósofo italiano Maurizio Lazzarato, que desenvolvem ideias novas a respeito da relação entre o capital, a vida e o trabalho. Se o capitalismo hoje não depende da indústria e de bens materiais, quando investe no conhecimento, nos corpos, na subjetividade e em diversos elementos da vida das pessoas, seria possível imaginar uma nova organização da sociedade, sensível à dimensão produtiva da própria vida, que não dependa do trabalho? A ideia de um sistema de renda garantida universal, evocada pelo filme, aparece como uma das formas privilegiadas, apontadas por Tatiana e Lazzarato, de subverter o cenário da repartição de riquezas.

Nossa próxima sessão acontece no dia 6 de setembro 2014. Faremos uma imperdível sessão-homenagem ao cineasta Eduardo Coutinho, exibindo sua obra-prima, Cabra marcado para morrer (Brasil, 1984). Como convidado do mês, teremos a honra e a alegria de conta com a presença de César Guimarães, professor do Departamento de Comunicação Social da UFMG, integrante do corpo permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da FAFICH-UFMG. Ele apresentará a palestra A experiência histórica e o Irreparável. Fiquem ligados aqui no blog, no Facebook e no Twitter da Casa da Ciência, para saber maiores detalhes sobre a programação. Até lá!

Uma nota: quem tiver interesse em adquirir ou conhecer mais sobre o filme Attention danger travail, exibido no último sábado, bem como outras produções ligadas a ele, não deixe de visitar o site da produtora: www.rienfoutre.org






terça-feira, 22 de julho de 2014

Atenção, perigo, trabalho: a emancipação pelo ócio


O trabalho dignifica o homem!?  No filme “Attention Danger Travail,”  (França, 2003), de Pierre Carles, Christophe Coello e Stéphane Goxe, esta máxima da moral liberal é posta em questão. Inaugurando as atividades neste 2º semestre, Ciência em Foco promove no dia 2 de agosto, após a sessão, o debate Direito à preguiça, recusa do trabalho, com Tatiana Roque, Doutora em História e Filosofia da Ciência, professora do Instituto de Matemática da UFRJ.
 
O registro de vários depoimentos e cenas alusivas ao mundo do trabalho, encadeados por um roteiro costurado com argúcia e fina ironia, apresenta uma subterrânea resistência que se espalha pela França aos modelos de progresso e também às formas de produção e consumo no sistema capitalista.
 
Segundo a professora Tatiana Roque, a recusa deliberada ao trabalho engendra uma leitura distinta daquela oferecida pelas tradicionais lutas por reivindicações trabalhistas, amparadas pelas concepções dominantes na esquerda. Trata-se da ideia de rechaçar os papéis que nos são atribuídos e que nos transformam em consumidores e agentes do capitalismo.
 
O filme, de acordo Tatiana, nos sugere “o desafio de criar comportamentos de recusa do trabalho assalariado que permitam interromper o círculo vicioso da produção, da produtividade e dos produtores - no qual estamos todos imersos, trabalhadores ou não.” 
 
Sempre no primeiro sábado de cada mês, Ciência em Foco exibe um filme seguido de debate. O objetivo é estimular a produção e circulação de novas ideias. A entrada é franca.